PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRINHA INFORMA

PREFEITURA MUNICIPAL DE SERRINHA INFORMA

DAS 17 AS 18 HORAS:"FORRÓ DA CLUBE"

DAS 17 AS 18 HORAS:"FORRÓ DA CLUBE"
AS MELHORES MÚSICAS DE TODOS OS TEMPOS,SÓ PRA VOCÊ: TRIO NORDESTINO,LUIZ GONZAGA,JACKSON DO PANDEIRO E MUITO MAIS...

Você está ouvindo:Rádio Clube Serrinha.NET

A BIBLIA É A PALAVRA DE DEUS!

A BIBLIA É A PALAVRA DE DEUS!

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Serrinha:Praça Luiz Nogueira agoniza!!!


Olá meus amigos! Hoje vou comentar sobre o ABANDONO DA PRAÇA LUIZ NOGUEIRA.Quem conhece a história de Serrinha,sabe muito bem da importância desta praça para todos nós.Até hoje,eu não consigo entender os motivos que levam a administração municipal a abandonar o centro da cidade.
Que se encontra em uma situação triste de se ver.O prédio onde morou Bernardo da Silva(Fundador) e o casarão dos Nogueira,como também,a Igreja velha,tudo acabado,caindo aos pedaços!!!Rigorosamente todos os antigos casarões foram derrubados.
Já não existem nem vestígios do que foi esta cidade.Os ambulantes tomaram conta da praça dia e noite,sujando tudo,é gambiarra de energia pra todo lado,um inferno mesmo.
Todo mundo gostaria de saber o que se passa na cabeça do prefeito Osni(!?)O homem nunca "visitou" o centro da cidade.Cobro também do gerente da Caixa Econômica Federal a restauração do antigo prédio da prefeitura,pois,segundo se comenta,foi feito uma parceria para recuperar o prédio secular.A Praça Luiz Nogueira pede socorro.

Conheça diferentes tipos de pernilongos e saiba como proteger bebês e crianças

O verão está chegando. E os pernilongos também, de todos os tipos. Duas espécies deles nos preocupam mais: o Aedes aegypti (foto ao lado), que é o transmissor de duas viroses potencialmente graves, que são a dengue e a febre Chikungunya, e o pernilongo doméstico, chamado de Culex quinquefaciatus, ou simplesmente Culex, como é mais conhecido, que também pode transmitir algumas doenças.

Esses dois tipos de pernilongos são diferentes, tanto na aparência quanto nos hábitos. E é muito fácil e importante saber diferenciá-los. Esta informação pode ajudar se, nos dias subsequentes, as pessoas apresentarem sintomas como febre, dores pelo corpo, manchas ou bolinhas vermelhas e inchaços.

O Aedes é escuro e tem o corpo e as patas rajados de branco. O Culex (foto abaixo) é marrom, tem as pernas bem afiladas e nenhuma manchinha branca pelo corpo. O Aedes bota seus ovos em água limpa e tem hábitos notadamente diurnos. O Culex é bem menos exigente. Coloca seus ovos em quaisquer tipos de água (suja, inclusive) e é um mosquito noturno. São diferentes, mas causam muito transtorno, e há que se ter cuidado com os dois.

Pernilongo culexO Culex é uma espécie essencialmente urbana e cosmopolita, isto é, presente em todas as regiões do mundo. No final da tarde, um verdadeiro exército voador entra zumbindo nas casas desprotegidas. Não poupam nenhum ambiente, muito menos o quarto dos bebês ou das crianças pequenas. Ficam escondidos atrás de cortinas, embaixo das mesas ou nas estantes e trocadores, esperando que a luz se apague para atacar.

Interessante saber que os Culex são atraídos pelo gás carbônico que eliminamos durante a respiração. Por isso é que eles chegam perto do nosso rosto, zumbindo em nossas orelhas – prontos para picar.

No dia seguinte, exibimos a consequência física do ataque, com inúmeras bolinhas vermelhas espalhadas pelo corpo. Coçam muito. De tanto coçar, podem-se infectar com bactérias da pele. Algumas pessoas, crianças, principalmente, têm alergia à sua picada. Fazem uma lesão conhecida por estrófulo, que se caracteriza pelo aparecimento de várias bolinhas vermelhas pelo corpo, semelhantes às da picada.

O mais importante é evitar todo este ciclo e se proteger dos pernilongos. Confira três dos principais métodos que podem ser usados para proteger todos, principalmente bebês e crianças:

- Mosquiteiros
Use-os principalmente nos berços e camas dos pequenos. São a forma mais inócua, eficiente e segura de proteger as crianças (e os adultos) em especial das picadas do Culex, que ataca quando todos estão dormindo.

- Telas protetoras nas janelas
São eficientes para evitar que os pernilongos entrem. No calor são interessantes, pois permitem a entrada de ar.

- Repelentes de tomada
Podem ser utilizados, idealmente a 2 metros de distância das pessoas.

Proteja-se de todos os que podem invadir sua casa. Afinal, pernilongos também podem ser mortais.Fonte:G1(Dra. Ana Escobar)

Cai diferença entre melhor e pior IDH do país, mas desigualdade persiste

São Paulo tem o mais alto índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) entre as regiões metropolitanas do Brasil, segundo levantamento do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e Fundação João Pinheiro (FJP) divulgado nesta terça-feira. De acordo com o Atlas do Desenvolvimento Humano nas Regiões Metropolitanas Brasileira, a Região Metropolitana de São Paulo tem nota 0,794 em um índice que varia entre 0 e 1. Já Manaus, com 0,720, ocupa a última colocação no ranking. Os dados do Atlas são calculados com base nos Censos Demográficos de 2000 e 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE). Em 2010, a diferença registrada entre as regiões metropolitanas com o maior e o menor IDHM foi de 10,3%. Dez anos antes, era de 22,1%. Além de dezesseis regiões metropolitanas, o estudo mapeou 9.825 unidades de Desenvolvimento Humano (UDHs), conceito próximo ao de bairros, e concluiu que as desigualdades entre elas caíram entre 2000 e 2010, mas seguem acentuadas.

As regiões metropolitanas que apresentaram os maiores valores para o IDHM em 2010 foram São Paulo (0,794), Distrito Federal (0,792), Curitiba (0,783), Belo Horizonte (0,774) e Vitória (0,772), todas com índices mais altos do que os apresentados em 2000. As regiões metropolitanas de mais baixo IDHM, em 2010, eram Manaus (0,720), Belém (0,729), Fortaleza (0,732), Natal (0,732) e Recife (0,734). Essas regiões, na mesma ordem, eram as de menor IDHM também em 2000.

Em dez anos, as regiões metropolitanas que apresentavam índices mais baixos avançaram com mais velocidade do que as que possuíam IDHM melhor. Por causa disso, as diferenças na pontuação diminuíram. No período analisado, as regiões metropolitanas que tiveram o maior avanço no IDHM, em termos relativos, foram Manaus, Fortaleza, São Luís, Belém e Natal. As que tiveram menor avanço foram as de São Paulo, Porto Alegre, Curitiba, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Vitória. As dezesseis regiões analisadas correspondem a quase 50% da população brasileira.

Lançado em 2013, o banco de dados com informações referentes aos 5.565 municípios brasileiros ganhou um recorte mais detalhado por regiões metropolitanas. Por meio do levantamento, é possível constatar que a renda média dos bairros mais abastados de Manaus, por exemplo, é 47 vezes maior que a do mais carente. Em 2010, na UDH classificada como Zona Rural Itacoatiara, a renda per capita média mensal é 169,1 reais. Na UDH Condomínio Residencial Houseville/Condominio Abrahan Pazzuelo/Condomínio dos Advogados, a renda per capita média mensal é 7.893,75 reais. Ao todo, o atlas reúne mais de 200 indicadores de cerca de 9.000 UDHs.

Segundo o estudo, em 2000, 7% das UDHs tinham Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) muito baixo; 32%, baixo; 29%, médio; 21%, alto e 11%, muito alto. Em 2010, não há UDHs na faixa de desenvolvimento muito baixo. O porcentual de UDHs na faixa de baixo desenvolvimento humano é 2%. Já 32% das UDHs tinham IDHM médio; 36%, alto e 30%, muito alto. O IDHM é um número que varia entre 0 e 1: quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento humano de um estado, município, de uma região metropolitana ou UDH. Para calcular o índice geral, três fatores são analisados: a expectativa de vida, a renda per capita e a educação.

O levantamento mostra que a esperança de vida ao nascer varia, em média, 12 anos dentro das regiões metropolitanas avaliadas. “Se consideradas todas as UDHs das 16 regiões analisadas, o melhor dado corresponde a 82 anos, enquanto o mais baixo é 67 anos. São 15 anos de diferença em termos de expectativa de vida ao nascer”, mostra o estudo. Quanto à educação, o atlas informa que nas UDHs com melhor desempenho entre todas as 16 regiões analisadas, o porcentual de pessoas com mais de 18 anos com ensino fundamental completo varia de 91% a 96%. “Já nas UDHs com pior desempenho, a variação fica entre 21% e 37%, portanto quase três vezes menor”, aponta a pesquisa.

Futebol baiano está há 28 rodadas seguidas no Z-4

Das 36 rodadas do Campeonato Brasileiro disputadas até o momento, o futebol baiano (através de Bahia e Vitória) está presente na zona de rebaixamento em 29 delas, sendo 28 seguidas.

A entrada na zona de rebaixamento começou na primeira rodada, quando o Vitória ocupou a 18ª colocação, no critério de gols marcados, já que perdeu o primeiro jogo por 1 a 0 para o Internacional.

Depois foi dada uma pausa até a oitava rodada, A partir da nona e até a 36ª rodada, pelo menos um dos clubes esteve presente na zona da degola.

O Bahia está presente em 20 rodadas entre os quatro piores do Campeonato. O Vitória já frequentou o Z-4 em 18 oportunidades. Os dois ainda estiveram juntos em nove rodadas.

E até o final do campeonato terá pelo menos um representante na zona de rebaixamento, já que os dois, matematicamente, não terão como escapar.

Confira as colocações na Zona de Rebaixamento:

1ª rodada: Vitória 18º
9ª rodada: Vitória 18º
10ª rodada: Vitória 19º
11ª rodada: Vitória 17º
12ª rodada: Bahia 19º
13ª rodada: Bahia 19º
14ª rodada: Bahia 18º
15ª rodada: Bahia 19º
16ª rodada: Bahia 18º e Vitória 19º
17ª rodada: Bahia 18º e Vitória 20º
18ª rodada: Bahia 19º e Vitória 20º
19ª rodada: Bahia 19º e Vitória 20º
20ª rodada: Vitória 18º e Bahia 20º
21ª rodada: Bahia 19º e Vitória 20º
22ª rodada: Vitória 20º
23ª rodada: Bahia 18º
24ª rodada: Vitória 20º
25ª rodada: Vitória 18º
26ª rodada: Vitória 17º
27ª rodada: Vitória 18º
28ª rodada: Bahia 17º
29ª rodada: Bahia 18º
30ª rodada: Vitória 17º e Bahia 18º
31ª rodada: Bahia 19º
32ª rodada: Bahia 19º
33ª rodada: Vitória 17º e Bahia 19º
34ª rodada: Bahia 19º
35ª rodada: Bahia 18º
36ª rodada: Vitória 17º e Bahia 18º

Fonte:Bahia Noticias

Vice-presidente do conselho pede afastamento de jogadores no VitóriaFonte

Não são só os torcedores do Vitória que não suportam mais assistir a alguns jogadores vestirem a camisa do clube. O próprio vice-presidente do Conselho Deliberativo, Silvoney Sales, mostrou indignação com o desempenho dos atletas.

Em entrevista ao programa Arena Transamérica, o médico criticou a atuação da equipe nos últimos jogos e cobrou uma atitude ao presidente Carlos Falcão. "A diretoria está cumprindo tudo o que foi assumido com eles. Bichos, salários, premiação estão todos em dias. Alguns jogadores não deveriam estar jogando. Alguns deles deveriam ser excluídos já agora nessa reta final. Se não tomarem providências, eu como vice-presidente do Conselho cobrarei ao presidente Carlos Falcão. Não podemos ser enganados por alguns atletas. Alguns deles estão desinteressados", disse.

Sales foi além e fala em falta de condições físicas de alguns atletas para estarem no Rubro-negro e citou como exemplo o volante Richarlyson. "Tem jogadores que falta qualidade sim, mas tem outros que falta saúde, não eram nem para estar aí. O capitão (Richarlyson) mesmo é até um bom profissional, mas antes de vir para o Vitória falou em abandonar o futebol. Se não tomarmos uma atitude agora, no que diz respeito ao afastamento de alguns jogadores, não lograremos êxito nessa luta para não cair para a Série B. Essa atitude deve ser tomada pelo presidente, não pelo conselho. Mas, o conselho irá, dentro do que lhe permite, pedir providências nesse sentido. Tem que afastar quem não está jogando, quem está sugando sangue de outros".

Por fim, o vice-presidente do Conselho também não poupou o técnico Ney Franco, a quem cobrou maior presença junto ao elenco. "É estranho também o time jogar domingo e o treinador só voltar amanhã (terça-feira). Era para ele concentrar desde hoje, mas o treinador está em São Paulo. Todo jogo ele tem que ficar em São Paulo, ou ficar em Minas (Gerais). Ele tinha que vir acompanhando a delegação, dar o exemplo", concluiu.Fonte:Bahia Noticias

Presidente turco diz que lugar de mulher na sociedade ‘é a maternidade’

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou nesta segunda-feira (24) que mulheres não podem ser iguais aos homens e que sua religião “definiu um lugar para as mulheres: a maternidade". Islamita e conservador, Erdogan é conhecido por declarações provocadoras e decidiu atacar feministas durante um evento sobre justiça e mulheres. "Algumas pessoas entendem isso, outras não. Não é possível explicar isso às feministas, porque não aceitam a própria ideia de maternidade", acrescentou. Segundo o chefe de Estado, tratar homens e mulheres da mesma forma vai “contra a natureza humana”. "Não se pode pedir que uma mulher faça todos os tipos de trabalho que um homem faz, como nos regimes comunistas", acrescentou. Segundo a France Presse, presidente já provocou a ira dos movimentos feministas do país ao tentar recomendar que as mulheres tivessem ao menos três filhos. O vice-primeiro-ministro, Bulent Arinc, também propôs regras polêmicas, como uma recomendação para que mulheres não rissem em voz alta, em nome da "decência".

Um mês após desparecimento, mãe de Davi Fiúza busca respostas: 'não posso ficar calada'

Exatamente um mês após o desaparecimento de seu filho, Davi Fiúza, 16 anos, após ser abordado por policiais na localidade de Vila Verde, no Parque São Cristóvão, em Salvador, a mãe do jovem, Rute Fiúza, está longe da paz. “Eu não posso ficar calada quando estou sem ver meu filho há 30 dias”, protesta. Segundo o relato da família, Davi foi capturado na manhã do dia 24 de outubro por policiais militares que realizavam uma operação no local. De acordo com a mãe do rapaz, sem nenhuma justificativa, ele foi encapuzado, teve os pés amarrados e foi colocado no porta-malas de um veículo sem identificação oficial. O caso, que era investigado pela 12ª Delegacia Territorial (12ª DT/Itapuã), passou a ser responsabilidade do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Rute queixa-se do fato de não obter detalhes sobre o avanço das investigações. “Em nenhum momento eles assumem quem comandou; eles sabem, e ninguém fala, não fala nada”, diz. Enquanto não tem notícias do destino do filho, ela tenta ser ouvida em seus pedidos por mais informações. Nesta terça-feira (25), ela comparecerá à 1ª Conferência Internacional sobre Políticas Afirmativas para a Promoção da Igualdade Racial, que terá a presença da ministra Luiza Bairros, da Secretaria de Políticas e Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República (Seppir). “Vou aproveitar para ver se consigo chamar atenção dela e levar o caso ao Ministério da Justiça. O caso dele não é único, tem muitos outros, e nenhum deles tem avanço, acabam no DHPP, esquecidos. Tem mais cinco mães que conheço e nenhuma tem notícias, todos os casos acabam assim”, aponta. Ela também irá ao Rio de Janeiro na próxima semana para prestar depoimento à ONG Anistia Internacional – o encontro seria nesta sexta-feira (28), mas foi adiado e deve ocorrer entre o dia 1º e o dia 5 de dezembro. Procurado pelo Bahia Notícias, o advogado de Rute, Luciano Andrade, falou sobre a importância da entidade tomar conhecimento do sumiço de Davi. “As organizações de direitos humanos vem apontado o genocídio de jovens negros, principalmente no Nordeste”, disse ele, em menção a casos como o do jovem Geovane Mascarenhas de Santana, que desapareceu após ser abordado por três policiais militares no dia 2 de agosto. Seu corpo foi decapitado, carbonizado e teve as tatuagens removidas com objetos cortantes. “A Anistia Internacional já estava de olho, é mais um que acontece isso, como o caso Geovane. Os olhos do mundo já estão se voltando para isso. Amarildo, Geovane, é mais um preto pobre... É como eu costumo dizer, são pretos pobres matando pobres pretos. Vão para o conflito na madrugada e depois pega o mesmo o ônibus pela manhã”,  afirma Andrade. Segundo o advogado, as poucas informações que obteve sobre o caso dão conta de que a principal hipótese é de que Davi trabalhasse para um traficante da região. “Querem colocar a vítima como usuário, que trabalhava com traficante da região. Ele tinha até uma debilidade mental, um retardo. Querem colocá-lo como perigoso. É recorrente quando alguém vai preso ou é morto dizer que é traficante. E se fosse? Justifica que a polícia continue matando, se é traficante pode morrer?”, argumenta.Fonte:Bahia Noticias

Samuel Celestino:"Foi invenção de Fernando Henrique Cardoso."

O governador eleito, Rui Costa, está tendo tempo suficiente para cuidar da formação do seu futuro governo. Não está, como normalmente acontece, sendo acossado pela mídia para dar informações sobre a equipe que formará para ajudá-lo a conduzir o seu primeiro quadriênio. Aliás, primeiro e possivelmente único, porque a reforma política prometida –  e exigida – tende a reduzir os mandatos executivos colocando um ponto final na reeleição, que nunca fez parte da tradição política brasileira. Foi invenção de Fernando Henrique Cardoso.

O foco, por ora, é outro. O país está em chamas com o mega escândalo de corrupção político-empresarial que balança a maior estatal brasileira, a Petrobras. O esquema montado por corruptos dentro da Petrobras, e, acentuadamente, por empreiteiras que agiam praticamente às claras, embora o governo não soubesse de nada. Como sempre.

A todo o momento surge um fato novo, adensando o esquema da gatunagem que impede foco nas políticas estaduais, como a da Bahia. Rui Costa fica, então, à distância. Já o governador Jaques Wagner aguarda a espera da decisão sobre o seu futuro no governo da república que, provavelmente, ele já tem conhecimento, mas não revela.

O esquema das empreiteiras é imensamente maior do que se presumia no início das investigações. A cada instante surgem fatos novos envolvendo-as. A mais recente, descrito pelos investigados na Operação Lava Jato, é a participação delas nos fundos de pensão dos funcionários das estatais. Não se sabe até que ponto elas roeram os cofres de tais instituições que administram juntamente com funcionários, as aposentadorias das estatais. Os fundos detêm um patrimônio de R$ 450 bilhões. Foram os próprios funcionários que denunciaram a possível roubalheira  ao Ministério Público, à Polícia Federa e à Previ –Superintendência  Nacional de Previdência Complementar.

As empreiteiras conseguiram estabelecer seus tentáculos, pelo visto, em todos os setores da economia, ou, pelo menos, os que tiveram acesso. A pergunta  que não me cala: como o governo brasileiro esteve ausente deste saque verde-amarelo alegando não saber absolutamente de nada? Mais próximos ao governo, alguns ministérios, como é do conhecimento, realizavam obras com a parceria de empreiteiras que superfaturaram contratos à larga, daí dizer-se que o saque foi amplo, geral e irrestrito.

Onde havia dinheiro lá estavam elas e, para apenas citar uma, a Delta, se tornou rapidamente uma das maiores empreiteiras do Brasil, agindo bascamente no Ministério do Transportes. Quando a roubalheira chegou ao público, a Delta desapareceu do circuito. Minguou por falta do queijo para roer, que nada mais era uma “doação” de políticos que geriam o ministério.

Agora, na composição da nova equipe de Dilma Rousseff, os partidos estão rondando a presa para saber qual a parte que lhes caberá no futuro latifúndio. Mais ainda. Petistas, basicamente, trabalham na direção inversa à da presidente, que convidou Joaquim Levy para ocupar o Ministério da Fazenda. A presidente parece recuar diante das pressões que está a receber do seu partido, que considera o escolhido um “liberal”, antenado com o tipo de política econômica que Aécio Neves iria estabelecer se eleito fosse. Ademais, Guido Mantega brigara com ele lá atrás, em função dos seus métodos, como se os de Mantega estivessem no caminho certo.

Pelo contrário. A escolha deve recair mesmo sobre um nome que tenha uma concepção inversa ao do atual ministro, porque foi dele a política econômica que está levando o Brasil ao despenhadeiro. Com a inflação; queda de emprego; contas da república que não fecharão, este ano no azul; com a queda das exportações e a ascensão das importações, derrubando o balanço de pagamentos; o PIB chegando perto do zero, se não ficar negativo, enfim, com o retorno da miséria, principalmente no Nordeste. Mantega é  um personagem para ser esquecido.

Mas Dilma, se ainda não voltou atrás, não anunciou, como deveria fazê-lo na última sexta-feira, o nome do futuro ministro da Fazenda, como estava previsto. Resolveu, acuada pelos petistas, ganhar tempo, certamente para chamar Lula e mandar que ele aquiete os descontentes do partido. O certo é que o Brasil não pode permanecer com esta política econômica sob pena de desandar, embora já esteja imerso neste processo.  O momento exige que o comando do país não fique alheio ao que acontece, com ratos roendo a Petrobras, destruindo o que lhe seja possível destruir. Enfim, já não dá mais para, à frente, dizer que não sabia de nada.Fonte:Bahia Noticias

São Gonçalo dos Campos: Justiça determina indisponibilidade de bens de prefeito

O juiz José Brandão Netto decretou a indisponibilidade dos bens do prefeito de São Gonçalo dos Campos, Antônio Dessa Cardozo, a pedido do Ministério Público da Bahia (MP-BA), em uma ação civil pública, no valor de R$ 677 mil. Ele é acusado de utilizar materiais de construção adquiridos pelo Município em obras particulares. Para o MP, o prefeito cometeu ato de improbidade administrativa. A indisponibilidade dos bens visa garantir a integral recomposição do erário. A promotora de Justiça Laise Carneiro afirmou que a ilegalidade foi cometida por aproximadamente de dois anos. “Houve utilização indevida, imoral e inconstitucional do patrimônio público para atender a interesses totalmente estranhos a seus munícipes, beneficiando diretamente o prefeito e seus apadrinhados, causando inegável prejuízo ao erário”, relata. A promotora ainda diz que houve enriquecimento ilícito do prefeito e que os danos causados ao erário são inegáveis. O juiz ainda determinou investigação do sigilo fiscal do prefeito, no período de abril de 2010 a 2014.

Wagner diz que doar sangue é 'causa de generosidade com o próximo'

Em comemoração ao Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue, o governador Jaques Wagner chamou atenção para a data e pediu para a mobilização de voluntários durante esta semana. As falas foram gravadas no seu programa de rádio Conversa com o Governador nesta terça-feira (25). “Eu creio que essa é uma atitude positiva [...] e eu queria fazer esse chamamento nesta semana, que vai de 24 a 29 de novembro [...], para a doação”, afirmou. Ele admite que as doações no estado estejam aquém do ideal e, muitas vezes, falta o estoque. Contudo, segundo Wagner, houve crescimento da rede do Hemoba na Bahia como forma de estimular a arrecadação de sangue e suprir a carência. O deputado estadual Adolfo Viana (PSDB) aproveitou o ensejo para cobrar a regulamentação da lei que concede desconto a doadores de sangue. Sancionada em 11 de junho deste ano, a lei baseada em projeto de sua autoria concede meia-entrada em espetáculos, eventos esportivos e de lazer aos doadores regulares de sangue. “É mais um estímulo para as pessoas doarem. Mesmo com as campanhas realizadas com a finalidade de aumentar a quantidade de doadores, o déficit de bolsas persiste”, avalia o parlamentar.  De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), é necessário ter pelo menos 3% da população doando sangue de forma regular. Na Bahia, o percentual aproximado é de 1%. 

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Justiça reduz indenização para família do cantor João Paulo, diz advogado

A Justiça de São Paulo responsabilizou nesta segunda-feira (24) a BMW e o cantor sertanejo João Paulo, que fazia dupla com Daniel, pelo acidente com o carro da montadora que provocou a morte dele em 1997 em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. Por causa disso, a indenização determinada em 1ª instância foi reduzida.

O advogado Edilberto Acácio da Silva, que defende os interesses da viúva e da filha do artista, disse que o Tribunal de Justiça reduziu para menos da metade o valor da indenização, que era R$ 300 mil, e da pensão que a empresa terá de pagar à família do músico. O novo valor ainda será calculado oficialmente. Silva irá recorrer da decisão. A defesa da multinacional não foi localizada para comentar o assunto.

A decisão dos desembargadores Melo Bueno, Gilberto Leme e Moraes Pucci ocorreu nesta manhã, segundo Edilberto, durante julgamento de um recurso da BMW. A montadora não concordava com a condenação de outubro do ano passado, quando foi obrigada a pagar indenização de R$ 300 mil e pensão à família de João Paulo.

Em 2013, o juiz Rodrigo César Fernandes Marinho, da 4ª Vara Civel Central, havia responsabilizado a empresa pela morte do músico, condenando a montadora brasileira e a alemã (BMW do Brasil Ltda. e Bayerische Motoren Werke Aktiengesellschaft (BMW AG)).

Laudo pericial havia apontado que um defeito no pneu dianteiro direito do carro dirigido pelo sertanejo, uma BMW 328 i/A, foi o causador do acidente. A decisão eximia João Paulo de culpa.
Mas, agora, segundo Edilberto, os magistrados do TJ entenderam que o sertanejo também teve culpa no acidente, contribuindo para que ele acontecesse. Laudo da Polícia Técnico-Científica indicou que o carro estava a mais de 130 km/h. João Paulo morreu em 12 de setembro de 1997, na Rodovia dos Bandeirantes, onde o limite é de 120 km/h.

“Vou entrar no STJ [Superior Tribunal de Justiça] e STF [Supremo Tribunal Federal] com recursos especial e extraordinário para afastar a culpa concorrente do motorista da BMW, no caso, o João Paulo”, disse o advogado. Os desembargadores ainda discutiram a possibilidade de o músico ter guiado o veículo sem o cinto de segurança. Os votos deles, no entanto, só serão divulgados nesta tarde pela assessoria do TJ.

O processo contra a BMW foi movido pelo defensor de Roseni Barbosa dos Santos Reis e Jéssica Renata dos Reis, mulher e filha do cantor morto. As duas não foram localizadas para comentar o assunto. Elas moram em Ribeirão Preto, interior do estado.

O caso
A morte de João Paulo ocorreu quando ele voltava para casa na madrugada do dia 12 de setembro de 1997, após um show na cidade de São Caetano, no ABC. O acidente aconteceu na altura do km 40 da Rodovia dos Bandeirantes, em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. O veículo capotou, invadiu o canteiro central da via e pegou fogo. O cantor morreu carbonizado.

Laudos periciais apontaram que um defeito no pneu do carro causou o acidente. Mas também indicavam que João Paulo trafegava acima do limite permitido na rodovia, mas a “velocidade encontrava-se dentro dos limites de dirigibilidade". A velocidade não pôde ser precisada pelo perito.

A defesa da esposa e filha alegou no processo que "o incêndio do veículo foi causado pelo desprendimento da tampa do tanque de combustível, ruptura deste ou contato do catalizador com a gasolina". O defensor disse que isso ocorreu por defeito em um mecanismo.

Na ação, a BMW alegou "culpa exclusiva da vítima por imprudência e imperícia, pois dirigia cansado, sem usar cinto de segurança e imprimia velocidade incompatível com o local". A defesa da montadora alegou ainda que "o pneu não estourou, não existindo defeito do produto, do projeto, da montagem ou vício oculto".

Além da indenização por danos morais, a BMW do Brasil e sua matriz alemã foram condenadas a pagar uma pensão mensal à filha e à esposa do cantor de 2/3 da renda média de João Paulo em seus últimos seis meses de vida.

Segundo o advogado Edilberto, João Paulo recebia mais de R$ 500 mil por mês na época do acidente. Com isso, o valor total da indenização, somados os juros, poderia chegar a R$ 400 milhões, de acordo com o advogado. O número exato será calculado por meio das declarações apresentadas à Receita Federal.Fonte:G1

Pelé volta a hospital para exames e tem detectada infecção urinária


Pelé voltou ao hospital Albert Einstein, em São Paulo, nesta segunda-feira para consulta de retorno após a cirurgia pela qual passou para a retirada de cálculos, no último dia 13. De acordo com a assessoria do ex-jogador, ele passou por exames que acabaram detectando uma infecção urinária. Por isso, o Rei do Futebol permanecerá no hospital, sendo medicado com antibióticos. Os médicos avaliam se ele precisará ficar internado. 
Pelé havia sido internado há 11 dias após passar mal em Santos. Os médicos detectaram a presença de cálculos nos rins, ureter e bexiga. Ele foi operado e recebeu alta dois dias depois.Fonte:G1

Serviço de telefonia móvel brasileiro é o mais caro do mundo, diz pesquisa

Em seu relatório anual, divulgado nesta segunda-feira (24), a União Internacional das Telecomunicações (UIT) aponta o Brasil como o país com cesta de serviços de telefonia móvel mais cara do mundo, com o valor de US$ 48,32, aproximadamente R$ 120. Segundo informações do site Convergência Digital, do portal UOL, a entidade considera, para o cálculo deste montante, tarifas de planos pré-pagos para 30 ligações – o que inclui chamadas dentro da rede, para outras operadoras e para telefone fixo – e 100 mensagens de texto por mês. A média, de acordo com o levantamento da UIT é de US$ 16,9 ou R$ 42. Ao considerar o valor da cesta em relação à renda per capita, a posição brasileira melhora no ranking: de último, em um ranking de 166 países, o Brasil passa a ser o 119º. Na comparação, verifica-se que os custos com celular representam 5% da renda do brasileiro. Em relação aos serviços de telefonia fixa, o país se posiciona como o 25º mais caro, com um custo por cesta de US$ 24,43, ou R$ 60 – média mundial é de US$ 13,9 ou R$ 34. Em relação à banda larga fixa, a cesta tem valor de US$ 13,82 (R$ 34), o que deixa o Brasil em 81º lugar. O preço médio ficou em US$ 31,9, ou R$ 79. Para o diretor-executivo do sindicato nacional das operadoras, o Sinditelebrasil, Eduardo Levy, a pesquisa da UIT “não representa a realidade”. “A UIT diz que o preço médio do celular no Brasil é US$ 0,74 por minuto, ou R$ 1,50. Mas conforme indica a própria Anatel, o que efetivamente é pago é US$ 0,07, ou R$ 0,15 por minuto”, argumenta. 

Eleição para escolha do novo presidente do Bahia terá oito candidatos


Passada às 17h desta segunda-feira (24), prazo estipulado para confirmação das candidaturas à presidência do Esporte Clube Bahia, os sócios do tricolor baiano já sabem quem serão os oito candidatos da eleição do dia 13 de dezembro, que definirá o mandatário do esquadrão para os próximos três anos. De última hora, para surpresa de muitos, o torcedor Binha do São Caetano e o engenheiro Olavo Fonseca, apoiado pelo grupo Associação Bahia Livre (ABL), garantiram presença no pleito. Além deles dois, outros cincos estarão concorrendo ao cargo de presidente do Bahia: Antonio Tillemont, Marcelo Sant'ana, Rui Cordeiro, Ronei Carvalho, Marco Costa e Nelsival Menezes, que foi preparador físico de Zezé Moreira na campanha do heptacampeonato baiano na década de 70. O campeão brasileiro em 88, João Marcelo, não reuniu os documentos necessários para oficializar à candidatura e sequer esteve no Fazendão. Agora, depois da entrega dos documentos, quem entra em cena é a comissão eleitoral do Bahia, liderada pelo advogado Milton Jordão, que irá avaliar a regularidade de cada um conforme o estatudo do clube.

Serrinha:" Medo pode fazer Osni manter equipe fracassada."


Olá meus amigos! Recebi um telefonema de um 'amigo',dizendo que o prefeito Osni estaria analisando a possibilidade de manter seus secretários até o restante do seu mandato.Hoje,pela manhã,o secretário de governo,Edvaldo Teixeira,disse que a mudança poderá acontecer a partir de Janeiro.Olha,na minha opinião,Osni vai contar até dez para mudar alguma coisa nesta área.Fiquei sabendo que o prefeito não tem travado um bom diálogo com alguns secretários,e mantém as tais figuras para não entrar em conflito e ficar muito pior.Está na cara o marasmo em que se encontra a Secretaria de Educação.
O controle desta pasta há muito foi para o espaço.No mesmo diapasão,se encontra a Secretaria de Saúde.É de dar pena viu! A situação do prefeito é complicada.O medo de muita gente boa "botar a boca no mundo"caso seja exonerado,intimida o prefeito na hora de tomar a decisão de mandar embora quem acrescenta muito pouco no governo municipal.

Libertadores e rebaixamento: o que seu time ainda precisa neste Brasileiro?

Restando apenas duas rodadas para o fim, o Brasileiro 2014 segue com algumas disputas abertas: ainda há (pelo menos) duas vagas pela Libertadores e três indefinições sobre as equipes que serão rebaixadas.

Na parte de cima da tabela, Cruzeiro já é campeão e o São Paulo está garantido na Libertadores (por isso, fica impossível o campeão da Sul-Americana 'roubar' uma vaga de Libertadores do Brasileiro).

O quinto colocado vai à competição continental se o Cruzeiro ganhar a Copa do Brasil (perdeu o jogo de ida por 2 a 0) ou se o Atlético-MG ficar entre os quatro primeiros (hoje é o quinto). Essa possibilidade é o que garante o Corinthians na Libertadores com apenas um empate - neste caso, ele só poderia ser ultrapassado por Inter e Galo e ficaria com a quinta vaga que se abriria.

Na parte de baixo, quem chegar aos 45 pontos está matematicamente na Série A sem depender de ninguém. Com um ponto, o Palmeiras rebaixa Bahia e Botafogo, mas ainda não se salva; time paulista precisa vencer seus dois jogos para não precisar torcer contra o Vitória.

Atlético-PR, Flamengo, Sport, Santos e Figueirense não serão rebaixados e não têm chances de ir à Libertadores.

Chances de G-4 após 36ª rodada

Corinthians - 97,4%
3º com 66 pontos - Precisa de um empate para não depender de nenhum outro resultado. Próximos jogos: Fluminense (f) e Criciúma (c)
Internacional - 71,9%
4º com 63 pontos - Precisa de uma vitória e um empate para não depender de nenhum outro resultado. Próximos jogos: Palmeiras (c) e Figueirense (f)
Atlético-MG - 27,0%
5º com 61 pontos - Se não vencer a Copa do Brasil, o Atlético-MG precisa vencer os dois jogos para não depender de nenhum outro resultado. Próximos jogos: Coritiba (c) e Botafogo (f)
Grêmio - 3,5%
6º com 60 pontos - Precisa vencer seus dois jogos e torcer para Corinthians e Internacional não ganharem nenhuma. Próximos jogos: Bahia (f) e Flamengo (c)
Fluminense - 0,2%
7º com 58 pontos - Precisa vencer seus dois jogos e torcer por duas derrotas do Inter e que o Grêmio não vença seus dois jogos. Próximos jogos: Corinthians (c) e Cruzeiro (f)
Chances de rebaixamento após a 36ª rodada:
Goiás - quase 0%
13º com 44 pontos - Se pontuar, se mantém na Série A sem depender de nenhum outro resultado. Próximos adversários: Atlético-PR (f) e Chapecoense (c)
Chapecoense - 0,6%
14º com 42 pontos - Se salva com uma vitória sem depender de nenhum outro resultado. Próximos adversários: Cruzeiro (c) e Goiás (f)
Coritiba - 4,8%
15º com 41 pontos - Com uma vitória e um empate, se mantém na Série A sem depender de nenhum outro resultado. Próximos adversários: Atlético-MG (f) e Bahia (c)
Palmeiras - 27,5%
16º com 39 pontos - Com duas vitórias, se mantém na Série A sem depender de nenhum outro resultado. Próximos adversários: Internacional (f) e Atlético-PR (c)
Vitória - 67,7%
17º com 38 pontos - No mínimo, precisa de dois pontos e torcer contra Palmeiras, Coritiba, Chapecoense e Goiás. Próximos adversários: Flamengo (f) e Santos (c)
Bahia - 99,6%
18º com 34 pontos - Se o Palmeiras pontuar, está rebaixado. Próximos adversários: Grêmio (c) e Coritiba (f)
Botafogo - 99,9%
19º com 33 pontos - Se o Palmeiras pontuar, está rebaixado. Próximos adversários: Santos (f) e Atlético-MG (c)

Fonte:porcentagens segundo o site Chance de Gol

Enem 2014: em busca do estudante que sabe ler

Uma das provas mais instigantes do Enem 2014 foi a de língua portuguesa, da área de Códigos, Linguagens e suas Tecnologias. O Exame Nacional do Ensino Médio já vinha acenando uma tendência que foi plenamente confirmada: o que será avaliado é se o aluno tem competência para ler, interpretar e relacionar textos.

O Enem reforça assim alguns sinais enviados à escola. Primeiro: é o fim do estudo focado na gramática normativa. Segundo: é o fim do estudo da literatura pelas listas de características de autores e de estilos demarcados por datas. Já não é tão decisivo saber se uma oração é “subordinada adjetiva restritiva”. Nem decorar um inventário de itens para ver se um soneto é ou não parnasiano. Importa saber produzir e entender mensagens, decifrar os possíveis significados que as palavras revelam. O recado para a escola é: ensine a ler. Mas não no sentido de decodificar signos linguísticos.

Numa de suas músicas, Chico Buarque imagina que, numa cidade submersa há milênios, os escafandristas chegam para explorar uma casa: “seu quarto, suas coisas, sua alma”. Chico diz que os sábios tentarão – em vão – decifrar o eco de antigas palavras: “fragmentos de cartas, poemas, mentiras, retratos, vestígios de estranha civilização”.

É uma das mais férteis metáforas para falar de leitura, essa espécie de viagem para outras culturas, outros textos, inusitados contextos. Ler é, como tentam os sábios da canção de Chico, arriscar-se a decifrar essa mensagem reservada para nós, tecida entre as linhas. Como diz Drummond de Andrade: chegar mais perto e contemplar as palavras, pois “cada uma tem mil faces secretas sob a face neutra e te pergunta: (...) Trouxeste a chave?”.

É esse o intuito das questões que trazem, na prova deste ano, Dalton Trevisan, Guimarães Rosa, Machado de Assis, Veríssimo, Manuel Bandeira, Gregório de Matos e outros. Mas os textos literários não aparecem como produtos acabados e inertes, como nas aulas de literatura clássica. Relacionam-se com quadros de Picasso, cartuns, anúncios publicitários. Ora, assim é a linguagem: dinâmica, polifônica, dada às interpretações e releituras. Essa capacidade de navegar pela intertextualidade é a proposta para avaliar o estudante.
O Enem deste ano é uma prova à procura de um estudante que sabe ler. Mas não a leitura da internet, da superficialidade e da rapidez.

A prova mede outra leitura: a que precisa de concentração, sensibilidade e razão aguçadas, que exige tempo, desprendimento, generosidade. Justamente como diz a música de Chico: “Não se afobe não, que nada é pra já”. É uma leitura que pode não ter necessariamente “finalidade” nem “para que serve”. Existe para quem ousa desvendar sentidos e, a partir deles, refletir, espelhar-se, reinventar-se. Porque, como escreveu Umberto Eco, “o autor e o leitor se definem um ao outro durante e ao fim da leitura; eles se constroem mutuamente”.

É todo um saber que não nasce com as pessoas, e para o qual precisamos ser convidados e seduzidos. Um saber que será absolutamente decisivo ao longo da vida, como universitário, profissional, pessoa, cidadão. É um estilo de leitura, no entanto, bastante distante do jovem de hoje, para o qual a escola e a família ainda dedicam poucos tempos e espaços.Fonte:G1(Andrea  Ramal)

Igreja submersa volta a aparecer por causa da estiagem, em Petrolândia

Há 26 anos a velha cidade de Petrolândia, no Sertão de Pernambuco, foi inundada para a construção da Usina Hidrelétrica Luiz Gonzaga. Após a inundação, apenas o topo da Igreja do Sagrado Coração de Jesus ficou visível. Hoje, por conta da estiagem, o volume do Lago de Itaparica reduziu e praticamente metade da estrutura do templo pode ser visualizada. As algarobas ao redor da construção também podem ser vistas, bem como uma caixa d'água de uma escola da velha cidade. A Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) informa que o volume útil da barragem atualmente é de aproximadamente 16%. No último período chuvoso, o armazenamento máximo do reservatório de Itaparica foi de 44,3%.

A situação prejudica as principais atividades econômicas do lugar. A agricultura, baseada na fruticultura irrigada, registrou uma baixa na produção. Dos aproximadamente 2.000 agricultores, praticamente todos tem a terra mas não estão plantando mais nada. "As estações de bombeamento dos perímetros irrigados já não conseguem captar a água suficiente para atender a demanda dos plantios que existem. Isso já paralisou a produção do município e apenas fruteiras que já estavam produzindo continuam a produção", explica ao G1 o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Pesca, Rogério Viana. Para a agricultora Joana Nogueira fica a tristeza de não poder continuar o cultivo. "Tenho minha propriedade e sou impedida de plantar no meu próprio lote porque não é garantido a água", conta.
Na piscicultura, os pescadores tiveram que se adaptar ao novo nível da água. Segundo o secretário, 90% do que se produz de peixe é em tanques, redes ou gaiolas que são colocadas dentro do lago. Esses equipamentos são colocados em lugares pré-determinados pela Agência Nacional de Águas (ANA). Porém, por causa da estiagem, eles precisam ser levados para locais de maiores profundidades, que tenham mais oxigênio. Com isso, os custos da produção são elevados e muitos peixes não se adaptam e morrem. "Antes quando ela [barragem] tava cheia, nós pegava até uma tonelada de peixe aqui. Por semana. E hoje em dia para você pegar 150 quilos dá trabalho para você pescar. Nós pegamos 150 quilos agora, no período de uma semana", lamenta o pescador Reginaldo Campos dos Santos. Tô pedindo a Deus que é para que o lago encha de novo que é para nós pegar mais peixer de novo, né?", desabafa.
Petrolândia

Município é localizado a 436 km de distância da capital.

A prefeitura realiza algumas ações para minimizar os efeitos da seca. "Temos disponibilizado equipamentos para abertura e limpeza de canais de aproximação, para que os agriculutores irrigantes consigam captar a água. Estamos articulando um grande encontro de instituições para discutir a situação atual. Ver quais são as perspectivas de chuvas. E quanto pretende-se baixar o nível do lago para que em cima disso possa ser feito um planejamento. A gente trabalha também com a hipótese das chuvas serem insuficientes e chegar ao caos, numa situação que a agricultura irrigada tenha que parar", observa o o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Turismo e Pesca. Já em relação à pesca, uma reunião está marcada com representantes do Ministério da Pesca e Aquicultura
As comunidades rurais também sofrem com a estiagem. A agricultora Lucicleide Maria do Nascimento trabalha em uma produção agrícola mas não cultiva nada em casa. Ainda assim, a família dela tenta controlar a quantidade de água utilizada para consumo humano, pois a localidade costuma ficar até três dias seguidos sem o líquido até para beber. "Tem que economizar bastante para não faltar. Quando a água chega nós colocamos em uma caixa d'água para ir usando", diz.Fonte:G1

Considero esta avaliação equivocada, dispara Otto sobre condições das estradas

“Considero essa avaliação totalmente equivocada”. Estas foram as palavras que o ex-secretário de Infraestrutura do Estado da Bahia (Seinfra), Otto Alencar, citou após ser interrogado em entrevista ao Site Bocão News, na manhã desta segunda-feira (24). De acordo com uma matéria publicada na edição de hoje do jornal A Tarde, 62% das rodovias baianas são precárias para uso.

O levantamento feito através do estudo realizado pela Confederação Nacional de Transporte aponta que 23% das rodovias baianas são definidas como regulares, 11 ruins, e 3 péssimas. Apenas 37% delas se encaixam com critério de boas e ótimas, que são as BA-052 - que liga Xique-Xique a América Dourada -, além da BR-235, próxima a Canudos.

Nesse estudo foram observados trechos sem placas, sem iluminação, falta de calçamento e muito buraco na pista: “Li a matéria e vi que nela há um levantamento equivocado e que não mostra a realidade. O Governo Wagner construiu 8 mil km de estradas e não sei em que estudos eles se basearam. Um levantamento sem data e sem amostras”, avaliou o vice-governador que deixou a secretaria em março deste ano.

Ainda em declarações o futuro senador disse que “se pontua a estrada de Castro Alves para a Ponte Paraguassú, porém o outro restante dela está em ótimas condições de uso”: “Eles fazem um levantamento dentro de 22 mil Km de estradas estaduais, de todas as federais. Uma avaliação absurda e uma realidade descrita totalmente contrária do que de fato é. Existe hoje um relatório na Secretaria de Infraestrutura que aponta todas as estradas construídas, com detalhamento, ou seja, é possível provar que a realidade vai de contra a publicada”, assegurou Otto.Fonte:Bocão News

Brincar com cachorro rejuvenesce e diminui chances de depressão

Uma ótima notícia para quem ama os cachorros: de acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade St Andrews, os cães fazem bem à saúde e podem rejuvenescer o dono em até dez anos. Para chegar ao resultado, os pesquisadores colocarem um dispositivo eletrônico em 547 idosos com uma idade média de 79 anos e mediu o nível de atividade física praticado por eles. Os voluntários que tinham cachorro em casa eram 12% mais ativos que os demais e apresentavam menos sintomas de depressão. De acordo com os pesquisadores, as razões são bastante claras: os idosos, por precisarem sempre sair para passear ou brincar com os cães, acabavam fazendo mais esforço físico, mesmo com dor, praticando a mesma intensidade de atividades que alguém dez anos mais jovem praticaria.

Encerra nesta semana campanha de vacinação contra Sarampo e Pólio

Termina na próxima sexta-feira (28) a campanha de vacinação contra o sarampo e a poliomielite promovida pelo Ministério da Saúde.  De acordo com a pasta até o momento, apenas 6,4 milhões de crianças receberam a dose da vacina contra a poliomielite, o equivalente a 50,4% da meta estabelecida, e 5,1 mil foram imunizadas contra o sarampo o que representa 48,1% do total esperado pelo ministério.  O governo espera atingir a meta 12,7 mil de crianças imunizadas contra a pólio e 10,6 mil contra o sarampo. Cerca de 10 mil de crianças também receberão a dose da vacina tríplice viral, que protege contra a rubéola e a caxumba. Vale lembrar que crianças com alergia ao leite de vaca, a vacinação será feita posteriormente. O publico alvo são crianças com idade entre seis meses e cinco anos incompletos. A recomendação é que todas as crianças nessa faixa etária sejam imunizadas, já que a dose vale tanto para colocar em dia a vacinação atrasada quanto para reforçar a de quem está com o calendário em dia. 

Bahia, para não cair, precisa torcer contra Palmeiras e Vitória

O Bahia, apesar de mais uma derrota no Campeonato Brasileiro, não está oficialmente rebaixado para segunda divisão. No entanto, para que isso não aconteça, a combinação é muito complicada. Primeiro, nas duas partidas que faltam para o término da Série A, o tricolor baiano necessita obrigatoriamente de seis pontos nos confrontos contra Grêmio, na Arena Fonte Nova, e Coritiba, no Estádio Couto Pereira. Além de fazer sua parte, o Bahia terá que torcer contra outros dois times. O Palmeiras, primeiro time fora da zona do rebaixamento, não pode pontuar. Se o alviver paulista, nos dois últimos jogos fizer um ponto, o esquadrão estará na Série B de 2015. Para o Bahia ficar, caso o Palmeiras perca as duas partidas, é necessário também que o Vitória, seu principal rival, não vença nenhum dois jogos, podendo até empatar os confrontos frente ao Flamengo e Santos. A situação é extremamente delicada, mas, matematicamente falando, o Bahia ainda possui chances de seguir na elite do futebol brasileiro.

Serrinha volta a receber recursos para a Vigilância Sanitária

Ao todo, 25 municípios do interior da Bahia, que estavam suspensos de receber recursos para Vigilância Sanitária, terão o repasse normalizado referente aos meses de setembro a dezembro deste ano. Entre os municípios contemplados, estão Almadina, Aporá, Boninal, Caetanos, Candeias, Conceição da Feira, Esplanada, Jacobina, Lauro de Freitas, Serrinha, Tabocas do Brejo Velho e Valente. De acordo com a portaria, assinada pela ministra interina Ana Paula Menezes, os recursos vão para 229 cidades em todo país, e os recursos investidos totalizam quase R$ 2 milhões e fazem parte do programa federal "Aperfeiçoamento do Sistema Único de Saúde - SUS". A portaria que estabelece a transferência da verba foi divulgada no Diário Oficial da União desta segunda-feira (24).

Filho de Alexandre Garcia morre em Brasília

O filho do jornalista da TV Globo Alexandre Garcia, Gustavo Nunes Garcia, 27, foi encontrado morto na madrugada deste domingo (24) em Brasília. O corpo estava no bloco C da  111 Norte, onde morava com a mãe. A Polícia Civil do Distrito Federal abrirá inquérito para apurar a causa da morte. Contudo, investigações preliminares apontam que tenha sido suicídio. 

domingo, 23 de novembro de 2014

A lei que promete ser o pesadelo para empresas corruptas

Em dezembro de 2003, entrou em vigor no país o decreto de criação do Conselho de Transparência Pública e Combate à Corrupção, um colegiado destinado a pensar medidas de aperfeiçoamento da administração pública e estratégias de enfrentamento de irregularidades. A época era próspera para o engenheiro Paulo Roberto Costa, que mantinha uma sólida carreira na Petrobras e estava prestes a ocupar a poderosa diretoria de Abastecimento da estatal – posto do qual ele operou o mais vultuoso esquema de desvio de recursos públicos de que se tem notícia no Brasil.

Dez anos depois, o Congresso Nacional aprovou a chamada Lei Anticorrupção, endurecendo – enfim – o cerco a empresas que abastecem propinodutos e abrindo espaço para que elas sejam penalizadas, inclusive, com a dissolução obrigatória se tiver se beneficiado de malfeitos. A manifestação tardia do Congresso sobre a importância de estancar esquemas de corrupção ficou mais evidente nos últimos meses, período no qual o país tem sido surpreendido diariamente com a ousadia de empresários e lobistas que, com a bênção de políticos, articularam o megaesquema de lavagem de dinheiro que movimentou pelo menos 10 bilhões de reais. Não é exagero afirmar que a existência há mais tempo de uma lei dura poderia ter inibido o assalto aos cofres da Petrobras com a participação das maiores empreiteiras do país.

“A lei trouxe um impacto inibidor da corrupção, uma vez que agora é possível alcançar diretamente o agente corruptor, ou seja a empresa, e em seu patrimônio”, diz o ministro da Controladoria Geral da União, Jorge Hage. Para ele, ao punir as companhias corruptoras pela via administrativa, o poder público ainda se livra de ter de aguardar a morosidade do Judiciário para reaver os valores desviados. “Com a lei não será necessário aguardar o moroso processo judicial que existe hoje no país, em que o excesso de recursos protelatórios faz com que um processo na Justiça dure quinze ou vinte anos”, afirma.

“Não tenho dúvida de que a Lei Anticorrupção estabeleceu um novo grau de responsabilização das empresas e uma nova relação com o poder público. Com a lei fica mais fácil responsabilizar as empresas porque passamos a ter a responsabilidade objetiva, que é aquela sem a necessidade de se provar a intenção ou de se comprovar o conhecimento do fato. Basta termos a confirmação de que o fato ocorreu e que a empresa tinha interesse ou se beneficiaria com aquele fato”, completa o advogado Luiz Navarro, ex-secretário-executivo da CGU e um dos idealizadores da nova legislação. “Quando se pensou a lei, a ideia era que a empresa sempre fosse responsabilizada. Se a lei pudesse ser aplicada no caso da operação Lava Jato, as empreiteiras não seriam poupadas”, afirma.

A Lei Anticorrupção, em vigor desde 29 de janeiro deste ano, mas ainda à espera de regulamentação pela presidente Dilma Rousseff, não pode ser utilizada para punir os desmandos de empresários e empreiteiras envolvidos no atoleiro de corrupção na Petrobras, mas parte de suas inovações, como a possibilidade de acordos de leniência com corruptores, deve ser colocada em prática pela CGU para mapear detalhes da trama criminosa, exigir ressarcimento dos cofres públicos e fixar multas milionárias às companhias malfeitoras. “No caso da Lava Jato, as empresas podem chegar a um acordo, denunciar quem praticou os atos e quem recebeu dinheiro da corrupção, restituir os cofres públicos, pagar altas multas como pena e então não ser impedidas de participar de novas licitações”, explica Navarro.

Responsável por mediar as prováveis negociações, o ministro Jorge Hage já recebeu pedido de uma das empresas citadas na Lava Jato para firmar um acordo de leniência e da holandesa SBM Offshore, que admitiu ter pago propina a funcionários da Petrobras. No governo, a estimativa é que as demais empresas citadas na operação da Polícia Federal recorram ao mesmo caminho para conseguir manter a condução de obras e evitar o risco de serem declaradas inidôneas. Nos Estados Unidos, um dos países que serviu de inspiração para a elaboração da lei anticorrupção, 95% dos casos de irregularidades envolvendo empresas acabam em acordo, segundo estatísticas apresentadas pelo governo brasileiro.

Apesar de poder ser utilizada parcialmente contra as empresas citadas na Lava Jato – na prática, como estímulo a acordos de leniência –, a aplicação completa da lei, inspirada em modelos da Alemanha, Reino Unido, França, Estados Unidos, Chile, Colômbia e México, esbarra há quase um ano na paralisia do Palácio do Planalto, que não regulamentou trechos importantes da nova legislação. Sem um decreto presidencial, a Lei Anticorrupção permanece sem parâmetros para dosimetria de multas a empresas corruptoras ou para atenuantes a companhias que tiverem aderido a políticas de governança e integridade. Depois de ter prometido, no início do ano, a regulamentação rápida da lei, o ministro Jorge Hage voltou a dizer nesta semana esperar que a pendência seja resolvida “brevemente”. Diante de um escândalo de outra galáxia, como bem classificou o ministro do Supremo Tribunal Federal Gilmar Mendes, é difícil entender a resistência de Dilma.Fonte:Veja

Vitória encara o Figueirense na luta contra a degola

Decisão. É assim que o Vitória vai encarar o Figueirense neste domingo (23), às 16h (horário de Salvador), no Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis, pela 36ª rodada do Campeonato Brasileiro. O time Rubro-Negro que ocupa a 16ª colocação com 38 pontos, precisa de um resultado positivo para não correr o risco de voltar para o Z-4.
 
Para o duelo, o técnico Ney Franco ainda não pôde contar com o volante Luiz Gustavo, que ainda se recupera de uma lesão no ligamento posterior do joelho direito. Já o atacante Dinei é dúvida. O camisa 9 se queixou de dores musculares e será reavaliado minutos antes do jogo.
 
Capitão do Vitória, o volante Richarlyson está de volta ao time após cumprir suspensão no empate em 1 a 1 com o Coritiba, na última quarta. O atleta prega respeito ao adversário, mas não abre mão dos três pontos. 
 
“Sabemos da dificuldade, mas não temos outro caminho. Vamos respeitar o Figueirense, mas o nosso objetivo está acima de tudo. É momento de sofrimento e dedicação. Que a gente possa fazer um bom resultado em Santa Catarina”, declarou.
 
Se o Vitória encara como uma decisão,  no Figueirense também não é diferente. Com 43 pontos e aliviado após o triunfo sobre o Botafogo na última rodada, o time catarinense quer os três pontos para escapar matematicamente da degola.  Atualmente, o Figueira ocupa a 13ª posição. 
 
“Estamos encarando como mais uma decisão. Vencendo, nos garantimos de vez na elite do futebol brasileiro. Assim como nossa equipe, o Vitória precisa muito dos três pontos, mas jogando em casa, com o apoio da nossa torcida, temos tudo para sair com o resultado positivo”, disse o zagueiro Nirley.
 
FICHA TÉCNICA 
Figueirense x Vitória
36ª rodada – Série A
Local: Estádio Orlando Scarpelli, em Florianópolis (SC) 
Data: 23 de novembro de 2014, domingo 
Horário: 16 horas (de Salvador) 
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (PA)
Assistentes: Vicente Romano Neto (SP) e Marcio Gleidson Correira Dias (PA)

Figueirense: Tiago Volpi; William Cordeiro, Nirley, Thiago Heleno e Marquinhos Pedroso; Dener, França, Marco Antônio e Felipe; Pablo e Marcão. Técnico: Argel Fucks.

Vitória: Wilson; Nino Paraíba, Roger Carvalho, Kadu e Mansur; Adriano, Richarlyson Cáceres e Marcinho; Vínicius e Dinei (Edno). Técnico: Ney Franco.

Samuel Celestino:A imensa podridão

Não há a menor dúvida de que o sistema partidário brasileiro apodreceu. É necessário que a reforma política anunciada vassoure as legendas, e as diminua. Grande parte delas existe para a realização de negócios. A corrupção faz parte do sistema e chegou à situação que hoje se encontra, não somente pelas propinas distribuídas pelas empreiteiras, como se observa na deslavada corrupção que se entranhou na Petrobras, como nas ações dos partidos e dos políticos. Já não ousam, no que pese as exceções, usar o manto da honestidade. Tornou-se corriqueiro, em épocas eleitorais, trocarem contribuições  das empreiteiras para as campanhas por favores futuros. A partir daí, as empreiteiras aprisionam os políticos eleitos e passam a extorquir em todos os planos da república: união, estados e municípios.

As emendas parlamentares chegam, em boa parte, aos municípios com empreiteiros já determinados, com o óbvio conhecimento dos prefeitos. Todos passam a usufruir da corrupção generalizada. Este é o Brasil real. Como consequências das obras executadas a partir das emendas ao orçamento, os municípios passam à condição de redutos cativos dos deputados no processo de cata votos para a reeleição. É assim que acontece e muito mais, porque a parte grossa do trambique e da propina é negociada em Brasília, o distrito federal da corrupção brasileira.

Os parlamentares com destaque  passam a ser procurados pelas empreiteiras que, não raro, mantêm “agentes” fixos no Congresso,  que por lá aparecem quando há interesses ou, ainda, para um cafezinho no gabinete do parlamentar. Questão de “relações públicas”, que também acontecem em restaurantes. São fatos que ornam a paisagem brasiliense, e assim também o é em outros países, como nos Estados Unidos, onde o lobby é normalíssimo, porque legalizado. Sem, no entanto, a corrupção desenfreada que se observa no tropicalíssimo Planalto Central do país.

A corrupção e a negociação das empreiteiras estão praticamente presentes em todas as obras que se realizam nos estados federativos, principalmente as realizadas pela união, na maioria das vezes negociadas com superfaturamento. Embutido no valor, um percentual dirigido a quem “trabalhou” para que  a obra fosse ganha pela empreiteira. O edital seria uma forma para evitar a corrupção, se fosse sistemático e obrigatório. Nas disputas das empreiteiras pelas obras, os acertos são feitos antecipadamente pelas empresas que, supostamente, estariam disputando o edital.

Os governantes sabem disso e muitos não têm como evitar, embora a maioria feche os olhos e depois mande cobrar, através de algum assessor que também leva vantagem, o percentual que lhe cabe no latifúndio ganho. Não há como evitar. Nem aqui nem na maioria dos países. O que aconteceu dentro da Petrobras extrapolou todos os limites, e toda a diretoria da petroleira possivelmente tinha conhecimento. Era praticamente aberto. Se Dilma alardeia que não “ficará pedra sobre pedra” terá que substituir todos os diretores da estatal, ou o que sobrou dela.

Era tão aberto o que ocorria na petroleira, daí não se entender com o governo supostamente comeu mosca se e que diz a verdade ao dizer que não sabia de nada. Segundo consta, havia até um clube das empreiteiras dentro da Petrobras onde, não duvidem, tomava-se  o “chá das 5”, e se discutia a forma de repartir o bolo, mesmo feito às custas do petróleo que, de há muito, não é mais nosso.
      
O governo não sabia? O presidente da petroleira não sabia? Desconfiem. O sistema foi implantado para funcionar de cima abaixo, na união, estados e municípios. O valor e o volume da propina é naturalmente compatível com a dimensão da obra, daí a suspeição de que a corrupção está em todo o canto, de norte a sul, de leste a oeste.
    
O escândalo da Petrobras dizimará, com prisões e penas, o que acontece neste paraíso dos trópicos? Definitivamente não. Basta ver que, enquanto os mensaleiros eram julgados e penalizados, os políticos (quando surgirem os nomes será um derrame) atuavam dentro da petroleira em dimensão 100 vezes maior. Ora, os mensaleiros, em consequência dos Códigos Penal e de Processo Penal, estão em casa tendo esquecer o que já é passado, beneficiados pela vantagem de cumprir apenas um sexto da pena de condenação. Para mudar o Brasil, derrubar a corrupção, há de se reformar os códigos. Mas o Congresso emperra. Afinal, ninguém sabe o dia de amanhã.Fonte;Bahia Noticias

Líder do PT no Senado é acusado de receber R$ 1 milhão

O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PT-PE), teria recebido R$ 1 milhão do esquema de propinas e corrupção na Petrobras para sua campanha em 2010, segundo afirmativa do ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa, em um dos seus depoimentos da delação premiada. O petista integra uma extensa lista de políticos acusados pelo ex-diretor da Petrobras na delação por meio da qual espera ter sua pena reduzida. Dos depoimentos sigilosos, já vieram à tona outros nomes de supostos beneficiários de dinheiro de propina dos contratos da Petrobras, como o da ex-ministra da Casa Civil Gleisi Hoffmann, também do PT, o do ex-senador, já morto, Sérgio Guerra, do PSDB, e o do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, do PSB, que também já morreu. Gleisi e Campos teriam recebido o dinheiro, por meio de intermediários, para campanhas políticas. No caso de Guerra, teria sido para abafar as investigações de uma CPI sobre a Petrobras instalada no Congresso Nacional no ano de 2009. Gleisi, o PSDB e o PSB negam ter recebido propinas, assim como o líder do PT no Senado. No caso de Humberto Costa, o ex-diretor da estatal disse que o dinheiro foi solicitado pelo empresário Mário Barbosa Beltrão, amigo de infância do petista e presidente da Associação das Empresas do Estado de Pernambuco (Assimpra). Paulo Roberto Costa disse que o dinheiro saiu da cota de 1% do PP (Partido Progressista), que tinha o controle político da diretoria de Abastecimento da estatal. Ainda segundo o ex-diretor, outras unidades da companhia foram loteadas para o PT (Serviços) e o PMDB (Internacional). Cada diretoria arrecadava 1% de cada grande contrato. A Diretoria de Serviços, sob o comando político do PT, realizava todas as licitações das demais unidades e, por isso, o partido recebia outros 2% sobre os contratos da estatal, segundo o ex-diretor de Abastecimento. Paulo Roberto Costa assumiu o cargo em 2004, por indicação pessoal do então deputado José Janene (PP-PR), que integrava a base aliada do Palácio do Planalto na gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Janene, que foi réu no processo do mensalão, morreu em 2010. Segundo o delator, o PP decidiu ajudar a candidatura de Humberto Costa, razão pela qual teria cedido parte de sua comissão. Paulo Roberto Costa afirmou ainda que, se não ajudasse, seria demitido.

sábado, 22 de novembro de 2014

SERRINHA:Desfile da beleza negra 2014

A sétima edição do ‘Desfile da beleza negra 2014, As Mais Belas Chamas de Serrinha’, reuniu na noite da última quarta-feira (19), na Praça Morena Bela, um público composto por jovens, professores e familiares dos candidatos que compareceram para torcer pelos representantes das escolas municipais de Serrinha. A abertura do evento foi realizada pelo Grupo Percussivo Afro Jamaica, que deu o ritmo e o tom ao desfile, ao som dos tambores os candidatos desfilaram mostrando toda sua graça e charme representando assim, a cultura negra.
Ao final do evento foram anunciados os vencedores do concurso ao som do Grupo Sem Segredo; Na categoria jovem-adulto a jovem de 19 anos, Deijaline Luciene e o jovem Egeniel dos Santos Pereira levaram o título, e na categoria Infanto- juvenil os escolhidos foram Allen Gomes de 14 anos e Crislaine Jesus santos .
O Desfile da Beleza Negra é parte da programação do Novembro Negro que traz o Tema: Celebrando a Democracia, Religiosidade e o combate ao racismo: Por uma Serrinha Afirmativa. Sendo, portanto comemorado no dia 20 de Novembro o dia da Consciência negra, lembrando a morte de Zumbi dos palmares, que lutou pela libertação dos negros escravizados.Fonte:ASCOM/PMS

Após eliminar 27 kg, artesã recupera disposição para brincar com o filho

Aos 29 anos, com 92 kg, a artesã Paula Patrícia Morais Pereira Cezar não conseguia brincar com o filho pequeno e nem sequer pegá-lo no colo. “A gente ia ao parque e eu ficava só olhando porque não tinha pique, ficava cansada”, lembra a paulistana, atualmente morando em Itajaí, em Santa Catarina. Porém, no dia 22 de dezembro de 2013, ela tomou uma decisão que mudaria não só esse, mas diversos outros aspectos em sua vida. “Decidi que começaria a me exercitar e faria uma reeducação alimentar. Não quis esperar o Natal ou o começo do ano, eu precisava mudar naquele dia”, conta.

Altura:
1,62 m
Pesava:
92 kg
Corpo que conquistou:
65 kg
Meta:
Atingiu
O que come:
Grelhados, salada, frutas
O que não come:
Muito doce e fritura
Como cuida da saúde:

Reeducação alimentar e atividade física

Mas logo no primeiro dia, Paula já passou pela sua primeira prova de resistência. “Meu marido comprou macarrão instantâneo e falou ‘come só hoje, amanhã você começa’, mas eu resisti”, lembra.
Para começar, ela identificou um dos principais erros que cometia ao longo do dia na alimentação. “Eu beliscava muito, mas não contava isso como caloria e não percebia que estava me afetando”, diz.

Além de cortar os petiscos, a partir dali, ela começou a comer a cada 3 horas e cortou fritura e doces. “Abri mão de tudo, e quando sentia vontade de comer um doce, pegava uma fruta. Funcionava para mim”, afirma.

Além da alimentação, a artesã passou a se arriscar também no exercício físico, mas como era sedentária, precisou começar devagar. “Caminhava na rua e, se não tivesse tempo durante o dia, eu ia à noite. Fiz isso de dezembro a abril”, lembra.

Em abril, cerca de 4 meses depois, ela já estava com 75 kg, 17 kg a menos, mas a receita de sucesso já não parecia funcionar e seu peso estabilizou. “Fiquei 20 dias sem perder um grama. Então decidi que era hora de encarar a academia”, recorda.

Por ter transtorno de ansiedade, os primeiros dias na academia não foram muito fáceis e Paula lembra que se sentia muito agitada. “Depois de um tempo, virou um prazer. Descobri que os exercícios melhoram muito a questão emocional”, avalia. No entanto, em agosto de 2014, ela precisou parar a atividade física para fazer uma cirurgia no joelho, por causa de um cisto e um rompimento no menisco. “Eu sentia muita dor nos joelhos e achava que a causa era o peso, mas depois que emagreci e a dor continuou, descobri que era outra coisa”, diz.

Afastada da academia desde a cirurgia, ela continuou com a reeducação alimentar e chegou aos 65 kg, peso que mantém até hoje. “Sinto falta do exercício, não pela perda de peso, mas porque me fazia muito bem”, lembra. Com o novo peso, a artesã diz que já se permite comer um doce uma vez ou outra, mas sem excessos. “Quem faz dieta maluca não pode comer. Eu fiz reeducação, então eu sei o que eu posso ou não. Sei que posso comer um salgado, e não 10”, defende.


Atualmente, Paula mantém a saúde em perfeito estado, mas ainda carrega a hipertensão que adquiriu quando estava com excesso de peso. “Tomo remédio para pressão todo dia. E tomo também um remédio para controlar a ansiedade, já que estou parada na atividade física”, diz. A paulistana diz que uma das maiores vitórias foi sair do manequim 48 para o 40, algo que “só uma mulher sabe como é”, como ela mesma define. “Ainda tenho dificuldade de me enxergar magra, olho no espelho e nem acredito”, diz, satisfeita.

No entanto, mesmo com todos esses benefícios, teve um deles que a deixou completamente feliz e realizada: a disposição para ficar com o filho. “Ele tem 4 anos. Poder brincar com ele de novo foi a parte mais especial”, defende. Paula acredita que o principal para conseguir perder peso é tomar a decisão e manter o foco. “Tem que fazer isso por você, não pelos outros. Eu tinha me perdido, mas agora me reencontrei. A reeducação e o exercício mudaram a minha vida, e hoje eu sei que sou capaz”, conclui.Fonte:G1